• Mamãe de Duas

Mãe descobre covi-d em seu filho de 3 anos ao notar manchas em seu corpo

A mãe nota manchas no corpo do filho de 3 anos, em BH: "Foi assim que descobri que era covi-d. "de alguma picada ou mesmo de comida ", diz a mãe, Suelen, 30, de Belo Horizonte. Especialistas explicam o sintoma

Manchas vermelhas no corpo de crianças podem ser sinais de covid (Foto: Arquivo pessoal)

Suelen Caroline Santiago Magalhães Rosalino, 30, de Minas Gerais, ficou chocada ao descobrir o motivo das manchas no corpo de seu filho, João Marcos, de 3 anos. 'Assim que o viu, o médico me disse que ele era covi-d. Levei-o ao hospital porque estava preocupada. Em apenas uma noite de sono, as manchas nos braços e nas pernas dobraram. Além dos braços e pernas, as manchas também aparecem nos dedinhos, nas palmas das mãos e nas solas dos pés ”, disse. A mãe disse que esses são quase os únicos sintomas. 'Ele estava com febre, mas a temperatura não ultrapassava 37. 5. Eram as manchas de coceira e nada mais! Achei que era alergia a uma mordida ou comida, mas não era. Aí ficamos todos em casa, isolados ”, explicou.



Suelen e seu marido, Marcos, 38, também testaram positivo para COVID. 'Sentimos fortes dores no corpo, fraqueza e dores de cabeça. Só em um dia tive febre. Meu marido não teve mudanças de temperatura, mas também teve uma tosse seca do tipo alérgica”, disse ela. 'Paramos completamente por 14 dias. Sem trabalho lá fora! Sem rua! Totalmente em casa. Supermercados e farmácias só online. No começo foi complicado. As fortes dores no meu corpo fizeram meu marido dormir no colchão, emno chão, ao lado da nossa cama. A insegurança e o medo de piorar nos deixavam ansiosos. João, totalmente preso em casa, passou a ter hábitos inusitados, como jogar tudo pela janela! Ele também dormia tarde, às 2 da tarde. madrugada Como o vírus é muito jovem e sofre muitas mutações, tínhamos medo de piorar ”, lembra.


Quando João tinha menos de dois meses, ela desenvolveu meningite bacteriana. Na época, eram mais de três meses de internação e várias operações. Ele ainda amputou parte da perna e dedos dos pés e hoje, após anos de reabilitação, está usando uma prótese. A mãe conta a história do menino por meio do perfil @joaomarcosguerreiro do Instagram. "Foi complicado! As manchas no corpo do João davam medo, porque a meningite meningocócica também tem esse sintoma.


Embora ele soubesse que já tinha, eram manchas que causavam necrose e depois amputação. Eu tinha medo quieto. " disse. Mas embora as fotos assustem, em uma semana o pequeno João já estava 100%. "O médico prescreveu antipiréticos, anti-histamínicos e spray nasal. Ele não tinha gripe ou sintomas visíveis, mas suas narinas estavam inchadas e ligeiramente irritadas", disse ele. A família deu positivo no dia 1º de dezembro. 'Já se passaram 14 dias, mas com tantos casos de deterioração estamos preocupados, mas não interessados. Dobramos nossa consciência”, concluiu.


Manchas na pele X COVID


'Como todo vírus, esse vírus também pode afetar a pele”, explica a dermatologista Selma Maria Furman Hélène, presidente do departamento de dermatologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP). Segundo o pediatra Nelson Douglas Ejzenbaum, membro da Academia Americana de Pediatria, as manchas na pele, embora raras, podem ser manifestações de Covid. "Em alguns casos, manchas vermelhas com manchas mais pronunciadas podem aparecer ou até formar uma condição alérgica. Em outros casos, manchas azuladas com extremidades brancas são notadas. Isso ocorre porque Covid causa inflamação dos vasos. Dói, mas em condições alérgicas, o 'O uso de antialérgicos é indicado para o alívio dos sintomas”, explicou. O pediatra lembrou ainda que manchas, em geral, não são o único sintoma. "Covid é multifatorial. Uma pessoa pode ser assintomática ou ter vários sintomas. O vírus ainda é visto como imprevisível", disse ele.


Alguns estudos associaram a covi-d a uma síndrome também encontrada no corpo humano, chamada síndrome inflamatória de sistemas múltiplos pediátricos. Portanto, é melhor procurar ajuda o mais rápido possível. 'O médico vai fazer a diferença no exame físico. Todas as manifestações cutâneas, independentemente de febre ou prurido, devem ser consideradas e avaliadas por um dermatologista ”, disse Selma.

1,742 visualizações0 comentário