• Mamãe de Duas

Mãe disse: "Fingindo estar brincando, meu cunhado abusou de minha filha"


Tristeza, dor: Como ensinar as crianças a lidar com essas emoções?

A mãe disse: "Fingindo estar brincando, mas meu cunhado abusou de minha filha de 4 anos" Suellen Baltazar, mãe do Rio de Janeiro, descreveu com emoção como descobriu que sua filha de 4 anos foi abusada. Ela revelou ainda que, ao condenar o agressor, foi criticada pela família: "Ele apenas esticou o dedo". Aprenda como proteger seu filho.


A barbearia e mãe de três filhos, a carioca Suellen Baltazar, foi um dos piores pesadelos de sua vida. Cerca de um mês atrás, ela descobriu que sua família estava abusando de sua filha. Logo depois, ela começou a mudar de emprego - deixando a área de construção para ser cabeleireira - para dar mais tempo aos filhos, para ser mais preciso. “Ela foi maltratada da maneira mais fraca. Eu não percebi. Me senti a pior mãe. Não comia nem dormia. Estava tomando remédio e pedi a Deus que aliviasse esse trauma na vida da minha filha”. Boom nas redes sociais Ela contou-lhe informações detalhadas sobre como descobriu o abuso, que foi a reação inesperada de sua família ao denunciar o agressor e ainda alertar todos os pais.


“Sou mãe de três meninas, uma tem 1 ano, a outra tem 4 anos, a mais velha tem 9 anos. Quando eu era cabeleireira, minha filha costumava ficar com a sogra pela manhã até a hora de ir, mas Recentemente, as ações do meu cunhado que ainda mora na casa da minha sogra começaram a me incomodar. Ótimo, porque ele tem 23 anos. Essa menina é uma criança que ainda está chupando os dedos e pode cometer um crime por isso.


Às vezes, apesar das várias tentativas de esconder pornografia, você ainda pode ver pornografia em seu telefone. No mês passado fui fazer um curso em Niterói, e minha mãe veio ajudar a mim e às meninas. Quando liguei para saber se estava tudo bem, ela disse que meu cunhado levou minha filha de 4 anos para casa. Isso me deixou com um sentimento muito ruim e decidi resolver imediatamente. Quando cheguei lá, meu irmão ouviu minha voz e carregou a filha pelas escadas como se estivessem brincando. Não estou me sentindo bem, levo minha filha para casa.



Já era meia-noite, mas resolvi falar com ela. Comecei a falar sobre outras coisas até que perguntei: O que você está brincando com o tio? Nesse momento, ela começou a gaguejar, dizendo que não sabia contar. Certa vez, seu tio disse que era segredo e, se ela contasse à avó, morreria. Estou com frio, mesmo assim, fico perguntando. Eu disse a ela para ter certeza de que seu tio é um amigo meu e me contou tudo. Ela ficou mais segura e começou a falar. "Jogamos 'Outline'. Eu não sabia bem e perguntei: 'Qual é o contorno?' Naquela hora, ela apontou para a vagina e eu congelei. Naquele momento, eu não conseguia seguir em frente. Entrei na sala e entrei em pânico. Perdido.


Quando minha mãe viu o movimento, ela foi até o quarto da minha filha e continuou falando com ela. Minha filha disse que às vezes ele tirava a cueca e a cueca. Nesses abusos, ele usou um elemento perverso. Então eu disse a ela que eles iriam brincar de esconde-esconde. Eu vi que ele sempre deu um monte de coisas pra ela, como bala, açaí, mas eu achei normal, amor do tio. Ela também relatou que em um dos abusos, como minha filha era muito pequena e não suportava o formigamento, ela sentiu dor ou até sangramento, possivelmente com os dedos. Um dia ela reclamou de dor vaginal, mas a gente achava que era infecção do trato urinário, então estamos tratando dela.


Depois de conversar com minha filha, fui até a casa da minha sogra e contei tudo a ela. Eles não podiam acreditar, meu sogro resolveu ir ao ginecologista comigo e meu marido. O médico verificou e descobriu o abuso. Ele disse que havia um pouco de vermelhidão ali, mas ainda descobriu que parte do hímen estava cortada, mas não estava quebrada. O comportamento do meu sogro é tão duvidoso que o médico se sente obrigado a desenhar o que está acontecendo. Infelizmente, minha sogra e meu sogro não estão comigo. Eles são super protetores do meu cunhado.



Na volta, pensei que meu sogro fosse falar com o filho dele, mas não aconteceu. Nada parecia acontecer com ele. Meu marido estava muito nervoso e foi com meu cunhado, foi uma luta normal. Minha sogra me mordeu e meu sogro até apontou o dedo para mim, dizendo que eu tinha acabado com a vida do meu filho. "O médico não disse que são apenas dedos?", Gritou ele. Naquela época eu percebi que se eu ficar lá, não terei paz. Propus medidas de proteção para manter minha sogra longe de minha filha e abri um processo criminal. Ainda estamos aguardando a continuação dos laudos médicos e psicológicos. Hoje, minha filha ficou traumatizada, mas está em tratamento. Depois que publiquei essa reportagem no Facebook, muitas mães responderam que estão passando pela mesma situação. Minha luta ainda está na infância. Portanto, eu falei: mãe, olha sempre nos olhos da criança! Fale e fique alerta. O mal existe e está mais perto do que pensávamos "


O outro lado


O réu negou ter cometido abusos. Ela disse: “Todas as ações dela foram devidamente registradas e serão investigadas na delegacia porque acho que esse é o método correto. Ao contrário do que ela fez comigo, não vou usar a Internet para contaminar ninguém. Nome. Certifique-se de não ver a criança no dia em que eu disser que é criança, e certifique-se de que só vou até ela quando minha mãe pede, porque a casa dela fica a cerca de 300 metros da minha - nós moramos na mesma rua - mas todos Ele foi devidamente registrado, e não cabe a mim elaborar sobre este assunto, caso contrário, sua versão pode ser revisada novamente ”, disse o aluno do tio Diego Tobias.


545 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo