• Mamãe de Duas

Endometriose saiba tudo sobre: sintomas, tratamento e causas

Endometriose: sintomas, tratamento e causas

Endometriose

Você sabia que a endometriose é uma das causas da infertilidade feminina? Sim, por isso é importante entender os sintomas e tratá-los se necessário. Na postagem de hoje, nossa colunista, a ginecologista Luciana Radomile, discute todos os problemas relacionados à endometriose: sintomas, causas e tratamentos. Veja e compartilhe! Endometriose-sintomas, tratamento e causas Cólicas intensas, dor durante a relação sexual e dificuldade para urinar e defecar são anormais. Eles podem ser um sinal de endometriose, uma doença que afeta milhares de mulheres em todo o mundo. Além da baixa qualidade de vida, a doença também é a principal causa da infertilidade feminina.


A endometriose é caracterizada pela presença do endométrio - o tecido do endométrio - na parte externa da cavidade uterina, ou seja, nos demais órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga. O endométrio engrossa a cada mês, então ovos fertilizados podem ser implantados nele. Se você não estiver grávida, ele descamará no final do ciclo e será liberado durante a menstruação. Uma teoria que explica o surgimento da endometriose é que parte do sangue migra na direção oposta e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando danos à endometriose. A razão para esse comportamento ainda é desconhecida, mas é sabido que se a mãe ou irmã tiver endometriose, o risco de endometriose é maior. É importante observar que essa doença afeta as mulheres desde o início da menarca e pode estender-se a cólicas menstruais. Normalmente, o diagnóstico ocorre quando o paciente tem cerca de 30 anos.


Qual é a relação entre endometriose e infertilidade?



A relação entre endometriose e infertilidade é direta por duas razões. Em primeiro lugar, porque quando o endométrio começa a crescer em locais como a trompa de Falópio e o ovário, ocorre uma inflamação e ocorre um processo de cicatrização espontânea, que acaba levando a alterações anatômicas que impedem o pleno funcionamento da trompa de Falópio, levando ao primeiro Fertilização. Além disso, as células inflamatórias podem afetar a qualidade dos óvulos e espermatozoides.


Quais são os sintomas da doença?


O mais óbvio da endometriose é:

Cólicas menstruais: em alguns casos, a dor é tão forte que as mulheres não conseguem realizar as atividades diárias;

Dor pélvica crônica: essa dor persiste mesmo após o período menstrual e só desaparece após o uso de analgésicos;

Dor durante a relação sexual: especialmente no caso de penetração profunda, algumas mulheres até sangram durante a relação sexual;

Menstruação irregular: o ciclo menstrual torna-se mais intenso e pode haver uma pequena quantidade de sangramento ao longo do ciclo;

Mudanças no ritmo intestinal durante a menstruação: Acompanhado por episódios alternados de diarreia e prisão de ventre, também há muita dor para ter alta.


Alterações na urina durante a menstruação:


Quando as células endometriais entram na bexiga, uretra ou rins, as mulheres podem sentir dor ao urinar, aumentar a frequência urinária e até sangrar na urina;

Cansaço, fadiga crônica e exaustão: as mulheres estão muito indispostas, principalmente durante a menstruação; Infertilidade: Mulheres com endometriose não podem engravidar.


Como é feito o diagnóstico?

A endometriose é uma doença difícil de diagnosticar apenas com o exame físico. Portanto, quando houver suspeita dessa condição, o médico solicitará alguns exames de imagem específicos para detectar essa condição.


Ultrassom transvaginal A ultrassonografia transvaginal pode identificar endometriose, cistos de células endometriais nos ovários, aderências pélvicas e endometriose profunda.

Imagem de ressonância magnética É uma escolha ligeiramente sensível e específica para pacientes com diagnóstico de endometrioma e endometriose profunda.

Laparoscopia Além de diagnosticar endometriose, a laparoscopia também pode tratar pacientes. Por ser este o processo de fazer uma pequena incisão no abdômen da mulher, por meio da qual são inseridos instrumentos para visualizar as lesões, essas lesões também podem ser removidas. A Laparotomia é semelhante à laparoscopia, mas é um procedimento mais invasivo. Entre eles, a incisão nos órgãos internos é maior. Embora esse método não seja muito vantajoso e requeira uma longa permanência no hospital e tempo de recuperação, uma laparotomia pode ser necessária dependendo da condição do paciente. Após a laparoscopia e laparotomia, o médico também pode solicitar uma biópsia da lesão para confirmar o diagnóstico.


Como prevenir?


Não há como prevenir a endometriose, mas algumas medidas de proteção são recomendadas, como: Tenha hábitos saudáveis; Coma uma dieta balanceada; Realização de exercícios desportivos; Durma frequentemente Momento de redução do estresse; Fique grávida e amamente seu filho; Evite álcool e cafeína. A melhor forma de prevenir as complicações dessa doença é sempre prestar atenção aos sinais e procurar ajuda médica assim que perceber que pode ter endometriose. Se sua mãe, avó ou irmã tem essa doença, preste mais atenção! Nesse caso, a oportunidade de desenvolvê-lo é maior.


Hoje, a doença atinge cerca de seis milhões de brasileiros. Segundo a Associação Brasileira de Endometriose, 10% a 15% das mulheres em idade fértil (13 a 45 anos) podem desenvolver a doença e têm 30% de chance de se tornarem inférteis. Existe risco de gravidez para mulheres com endometriose? O bebê tem complicações? Por algum motivo, as mulheres com dificuldade de engravidar são monitoradas de perto por médicos. No entanto, não há evidências científicas de que a endometriose esteja relacionada a complicações maternas e infantis.


238 visualizações0 comentário