• Mamãe de Duas

Cuidado! Médicos infectados com Covid-19 emitiram um apelo

Médicos infectados com Covid-19 emitiram um apelo: "Alerto sendo pai de 4 crianças infectadas, tomem cuidado" O profissional de saúde Francismar Prestes Leal, 51, classifica o comportamento de pessoas que negligenciam as medidas de higiene e distanciamento social como "horror".

Médico lamenta o descaso da população Foto: Getty Images)

Francismar Prestes Leal, 51, é um médico de primeira linha pesquisando o coronavírus. Ele passou cinco dias no hospital após um teste positivo para covid-19. Desde que o primeiro caso foi registrado em Maringá, no norte do Paraná, um profissional de saúde que cuida de pacientes com a doença disse em entrevista ao G1 que até intubou colegas intolerantes ao Covid-19. “Enfrentar uma doença infecciosa tão complicada e ser negado pelas pessoas não é fácil. Estamos todos fisicamente e mentalmente exaustos. Ele disse: Estou preocupado em adoecer ou morrer por causa dessa doença, da qual ainda não sabemos muito.


O médico que trabalhava cerca de 200 horas mensais deu entrada no hospital na última quinta-feira, 3 de dezembro, mas desta vez como paciente. Francismar está hospitalizado e cerca de 30% de seus pulmões estão afetados pela doença. Sua esposa, de 38 anos, também precisa ser internada, e o quadro é ainda mais preocupante: 50% dos pulmões afetados são diagnosticados com embolia pulmonar. Ela é enfermeira e não tem nenhuma doença anterior. O casal está se recuperando em casa há 8 dias, tem quatro filhos e todos os testes dão positivo, mas os sintomas são leves.

“Não entendo por que as pessoas são expostas a algum tipo de lugar que pode matá-las ou matar seus entes queridos. Peço-lhe que seja médico, como marido de uma mulher que atualmente sofre de uma doença grave, e como quarto o pai de uma criança infectada, por favor, cuide-se Saúde e distanciamento social.

Francismar também disse que até interveio com dois colegas de profissão que também trabalharam duro para combater a pandemia, e que acabaram morrendo da doença. “Eu entubei dois colegas. Isso é uma coisa muito dolorosa para qualquer um. Apesar de todos os nossos esforços, todos nós falecemos. Ele lamentou que a perda é para salvar vidas, se expor e expor seus parentes. É realmente uma sensação terrível para os colegas que se esforçam tanto.


Ignorar a doença


A exemplo de Francis, a médica Anna Karin Ellenfried de Freitas, que também lutou contra a Covid-19 no Hospital Vittoria, em Curitiba, também disse que viu que parte da população não recebeu básica Cuidado, isso é "nojento". "É difícil. Dá vontade de pedir que a pessoa se coloque no nosso lugar. Ficamos enojados, indignados e nos resignamos. Ele disse que as pessoas parecem não entender, ou só quando acontece alguém próximo a elas Vai perceber que isso é verdade. Anna também falou sobre exaustão alguns meses após a pandemia. "Não se trata apenas de exaustão física, mas também de exaustão mental. Perdemos muitos pacientes. Covid-19 é uma doença cruel. A resposta aos pacientes em estado crítico é muito diferente. Ele disse:" Fazemos tudo o que podemos, Eles não responderam, o que é frustrante. "

Diante de um novo pico no número de casos, a médica disse que muitas vezes sentia que não tinha forças suficientes. “Vendo tudo crescer de novo, parece que não teremos forças. Mas cada vez que formos para a UTI, devemos tirar força de onde não temos, porque sabemos que as pessoas precisam de nós”, disse.

53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo